For the price of a cup of tea you’d get a line of coke.

peguei o metrô em stratford e desci em st. john’s wood para admirar o real state (ou seja, as casas). uma moça com cara de rica, rabo de cavalo castanho e legging preta passeava um french bulldogue e me olhou ressabiada. subi até primrose hill, hipsters falando idiomas eslavos e monopolizando o alto (de onde se tem a melhor vista) enquanto tamborilavam as telas gigantescas dos seus samsungs. meu iphone 4s parecia antiquado em comparação. a ponta do the shard cintilava no horizonte.

desci, andei até chalk farm, considerei camden mas peguei o 27 para chiswick. passei por um cinema que exibia todos os filmes do oscar + the book thief (que eu ainda não assisti, mas preciso, nem que seja para falar mal – se bem que a crítica já está descascando por mim). comprei livros, inclusive dois pequeninos num antiquário LINDO na high street que me fez ter old books orgasms. 175 libras por uma edição de a cabana do pai tomás, que de tão bonita dava vontade de comer. deixei na prateleira. trouxe um livro babaca de ilustrações + christopher robin storybook (essa uma edição de 1963, cheia de rabiscos infantis e que foi obviamente muito amada) por duas libras cada + outros livros novos. peguei o 27 de novo para notting hill gate, mas desci antes porque queria comprar falafels.

ônibus são legais porque permitem que você veja por onde está indo, descubra lugares que não conhece, desça neles ou faça planos de voltar. uma pena, porque são muito, MUITO lentos. metrô é rápido e eficiente, uma necessidade em muitos casos; mas jamais me proporcionariam admirar o pequeno cemitério da igreja de st. mary abbots em kensington, coberto de crocus desabrochando sob o sol de inverno.

a viagem de volta dentro do latão subterrâneo é tediosa e levemente embaraçosa, e por algum motivo eu sempre acabo sentada na frente da única outra pessoa do vagão que não está lendo jornal ou olhando para o celular. é desconfortável ficar evitando cruzar olhares ao mesmo tempo sabendo que a pessoa *vai* estar olhando para você quando você estiver olhando para o chão (analisando os sapatos dos outros passageiros), da mesma maneira que você fará com ela.

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s