Just a little mist

Fazendo a louca do spray com as plantas.

Na verdade apenas as samambaias se beneficiariam desse cuidado (algumas, como as avencas, necessitam disso a fim de reproduzir as condições de umidade das florestas tropicais das quais são nativas); as suculentas foram no embalo porque: sim. :)

Lips like sugar.

Eu costumava guardar maquiagem no banheiro, mas leio por aí que isso estraga os produtos; não que eu de fato me importe; praticamente só uso produtos baratos, e se estragarem eu jogo fora e pronto. Mas nesse verão eu decidi fazer algo de diferente (infelizmente sem bons drink) e usar a minha penteadeira recém-pintada para alguma finalidade prática, ao invés de apenas decorativa. Trouxe toda a minha maquiagem pra cá:

Tudo nas gavetas. E, como eu não tenho muita coisa, coube e ainda sobrou espaço.

 photo c3.jpg

Dei uma arrumada na mesa; guardei coisas que eu não usava para criar espaço e aloquei esse vasinho para guardar pincéis e outras coisas que eu queira ter mais à mão.

Perfume preferido (Dolce Vita, Dior), amostra grátis do Chloé e alguns esmaltes.

Achei que nem tivesse muito batom, mas até que é número razoável. Aí embaixo a turminha da MAC: Dark Side, Fanfarre e Ruby Woo.

Depois da novidade acabei usando pouco; o Fanfarre demorou pra gastar e os outros dois estão longe do fim. Acho que não dou sorte com as cores; acho bonitas na loja mas em casa elas não funcionam. O Ruby Woo é reconhecidamente o batom com a pior textura do universo. Sei que é uma cor icônica, meio retrô e tal, mas aplicar é para as fortes.

Aí embaixo (e em cima!) da esquerda para a direita tem:

1. Um brilho gostosinho da Lancôme – com algumas partículas de glitter…
2. Meu batom preferido do momento, Hollywood Red, da Maybelline – que não é exatamente vermelho;
3. O velho de guerra da Dior (quase acabando): Rouge Epice/Spicy Red – guess what? nada vermelho também, mas com brilhos dourados de fundo que deixa uma cobertura cintilante bem bonita.
4. O Rose Passion da Rimmel (vermelho cereja)
5. Outro brilho da Lancôme, dessa vez em bastão (da linha Color Fever Shine), número 335. É um rosinha bem claro, mas brilhante e não deixa a boca com aquela textura grudenta de quem acabou de comer uma tigela de linguicinha calabresa.
6. Vinho Canela, VEEEEELHO da Avon, roubado da minha mãe (quem precisa de ladrão quando a sua própria prole subtrai os seus produtos??) porque eu adorava a cor. Que é bem parecida com o Hollywood Red (que inclusive foi comprado pra substituir o da Avon, que está quase no fim).

Aí embaixo tem essa coisa linda da YSL (embalagem mais bonita do universo?) e o baratinho da Kiko.

O YSL é da linha Rouge Volupté, cor número 03. E a cor do brilho da Kiko é 04 – muito bonita, meio nude, mas textura SUPER grossa. Chega a deixar os lábios colando.

A seguir os proletários (hahahaha):
1. Fat Balm da Eyeko (que já está fora de linha há tempos), sabor Strawberry. Aliás, olhando o preço dos produtos da Eyeko eu fico chocada ao lembrar de como eles começaram na humildade e do quanto tudo era baratinho. No more, baby. Eu não curto tanto usar como batom (muito grosso, difícil de aplicar) mas pra dar uma cor nas bochechas on-the-go é 10.
2. Lip tint da linha Rouge Hi-tech da Bourjois. Também MUITO velho (a maioria dos meus batons tem anos; demoro a gastar porque uso pouco). É vermelhinho. E meio fraco. Curto o aplicador, e só. Lembro que comprei esse porque a tampa do meu Benetint quebrou dentro da minha bolsa (embalagem vagabunda, hein, Benefit?), manchou tudo, eu perdi a bolsa, fiquei puta da cara e achei que esse seria uma opção mais segura. Segurança: yes. Cor: Erm…
3. Vagabundaço que eu comprei na Alemanha pra dar pra uma prima cafona (que, espero, não leia o meu blog) que me pediu um batom “cor de uva”. Bem anos 80. Acabei não conseguindo encontrar a prima quando estive no Rio, e como ela não se deu ao trabalho de me ver eu fiquei com o batom. A marca é de farmácia, mesmo (da época em que morei em Hannover e frequentava as filiais da Rossmann), se chama Rival de Loop e a cor é 107; um vinho tendendo ao rosa, de boa fixação. Tenho esmaltes e um removedor de make-up dessa linha e acho muito bons. :)
4. O tint gloss da Maybelline (cor Forever Coral) foi a decepção da leva. Quem manda comprar produtinho porque leu em blog, né? O aplicador é ótimo, o cheirinho idem, a cor bonita; mas aqui terminam as vantagens. A idéia era que o bagulho fixasse por 10 horas (linha Super Stay, de longa duração) mas tá mais pra 10 minutos, mesmo. Fail.
5. Outro ancião que eu ganhei num daqueles kits de make-up brinde. Linha Stay Perfect da Boots (cor Glace), um lilás com cobertura dourada. E olha, fica BEM dourado na boca. Lembra um dos meus esmaltes favoritos, o Imaginary Mauve da Dior. É muito bonito, mas meio bizarro e eu acho que não combina muito com a minha personalidade.

Agora esses baratinhos aí vivem na bolsa.

Linha Fruit Shine da Labello (equivalente europeu da Nivea), fácil de aplicar porque é brilho, dá uma corzinha light e levemente shiny sem deixar os lábios grudentos. Uso o tempo todo, especialmente no inverno. Esses são Framboesa, Goiaba e Morango. Infelizmente só encontro quando estou no continente (Alemanha, França, etc.) porque assim como no Brasil e nos EUA aqui na Inglaterra a gente tem a Nívea, que não tem muita variedade de cores. :(

you don’t agree, but you don’t refuse

Perdi um post ENORME aqui de uma maneira quase sobrenatural. Estava digitando, selecionei um parágrafo e TODO O POST que não era aquele parágrafo simplesmente desapareceu. E nenhum CTRL + Z ou Undo conseguiu retornar todos os parágrafos perdidos.

Saudade do auto-save do Blogger, que salvava seu post automaticamente de tempos em tempos. Saudade quando tudo na web era HTML, nada era flash ou similares.

Preciso mudar o meu mural. Há séculos eu não mudo absolutamente nada ali, além dessa foto da Lana del Rey.

your face is as mean as your life has been

Estive em Praga esse mês, comemorando o nosso aniversário de oito anos de casamento. A cidade é tão linda quanto eu imaginava e a comida nem tão horrível quanto eu esperava.

E quem sabe um dia eu consigo reunir coragem para reescrever todo o post que perdi.

don’t step on my black leather shoes.

Sofrendo BULLEN das Essex Girls na rua por causa do meu modelito 60s, halp @aplusk.

Mas eu estava me sentindo bem pretty baby com minhas meias cor de mostarda da H&M combinando com meu cashmere da Johnstons of Elgin e sapatinhos boneca da Street. Aliás, saudade de morar na Alemanha e ter uma Street em cada esquina. Esses sapatos são de couro, uso quase diário porque são a coisas MAIS CONFORTÁVEL ever, em perfeito estado depois de quase seis anos e custaram 30 euros. ♥

Eu moro no borough de Havering, que faz divisa com o condado de Essex (antes de compramos esta casa, estávamos morando de aluguel em South Woodford, um bairro no borough de Redbridge). E em termos de vestimenta, a influência de Essex se faz bastante presente aqui na área; enquanto as London girls são mais alternativas, mais hipsters, as moças da região estuária do rio Tâmisa preferem um visual mais, erm, “montado”. Muito bronzeamento artificial, muita maquiagem (especialmente nos olhos; cílios postiços são obrigatórios), sapatos de plataforma (que aqui eles chamam de “salto de stripper”), animal print, cores fortes, vestidos de cintura marcada, e MUITO aplique no cabelo.

Não é a minha preferência pessoal, e certamente as meninas da área devem achar que estou fazendo cosplay de avó.

A Inglaterra é um “país velho”, ou seja, eles tiveram mais tempo pra acumular informação histórica para transformar em inspiração para as roupas; sempre vejo alguma senhorinha desfilando vestida de madame vitoriana, ou um garoto punk com moicano ou ainda uma menina com a cara (e as roupas anos 60) da Twiggy.

Já Havering deve ser a idéia que a Vogue faz do INFERNO. Certa vez eu estava aqui no centro e vi uma moça vestindo uma jaqueta camuflada, boné com tachinhas virado pra trás, sutiã de ginástica roxo usado como top, calça jeans de corte “baggy” e stone washed (vintage começo dos anos 80, eu arrisco) e calçando Birkenstocks. NADA ali fazia o MENOR sentido e eu achei fenomenal. Talvez seja justamente nessa liberdade poética e total desapego às regras que esteja a verdadeira originalidade. :)

Low Carb sweets ♥

Mini banquete de verão low carb: “vitamina” de pêssego e “sorvete” de morango. :)

A vitamina: creme de leite fresco (single) + suco artificial de pêssego concentrado diet + água. O sorvete (que tem mais gosto de cobertura de bolo, mas é uma delícia): creme de leite fresco (thick double) + essência de morango + anilina rosa + adoçante.

Porque o verão precisa de DOCINHOSSS GELADINHOSSS mas eu preciso continuar cabendo nas minhas roupas.

Summer Doings

30 e muitos graus ontem, a primeira noite deste ano em que precisamos usar um – OMG!! – ventilador para dormir. Eu estou mesmo na Inglaterra? Tão revolucionário sentir *calor* nesse país.

Infelizmente com o calor também vêm as moscas. Elas não são agradáveis. E assim como as moscas – porém um pouco mais agradáveis – chegam todas as pessoas correndo para a rua feito loucas, saltitando alegremente semipeladas expondo aos inclementes raios solares hectares e mais hectares de pele alvíssima depois de oito meses sem ver a luz. Uma palavra para todas as branquelas querendo “aproveitar o verão” e transformar os jardins de Londres em Saint Tropez: MELANOMA. Se cuidem. Filtro solar e nada de “bronzeamento/avermelhamento” em horas impróprias.

E eu finalmente tenho um terrário.

O terrário é um vaso que eu achei na Homesense. As plantinhas vieram da Homebase e eu acho que escolhi mal; elas são altas demais. Talvez eu troque.

Grama cortada; ele começou, o cortador de grama quebrou, o vizinho emprestou o dele e eu continuei. O do vizinho é motorizado, ou seja, eu não precisava empurar. Quando comprarmos outro, eu gostaria que também fosse movido a gasolina. ♥

Também plantei gerânios e vi os lírios florescerem.

image

Uma receita-perfeita para iced coffee. Levou um tempinho até eu acertar, modificando detalhes da receita aos poucos (infelizmente a minha não leva leite condensado, e sim creme de leite fresco e adoçante), mas é uma boa alternativa de verão à coca cola. Gelo é fundamental. ;)

Querendo muito essas botas, pacientemente esperando esgotar para não gastar o dinheiro.

Board no Pinterest sobre decoração de pequenos espaços. Adorável.

Um artigo super bacana sobre como as críticas feitas às roupas e coreografias da Madonna fedem a sexismo e preconceito de idade.

Problemas com a sua bitchface? Eis a cura. Pelo menos por uns instantes você deverá rir um bocado. :)

Notícia antiga, mas sempre lindo reler: crianças colombianas fazendo o seu próprio dicionário.

Concordo bastante com esse post a respeito de grosserias anônimas na internet.

A náite carioca nos anos 80/90. Muitos desses lugares eu só conheci pela TV ou de ouvir (muito) falar, mas a nostalgia foi a mesma daqueles que eu efetivamente frequentei.

Pão Low Carb

1 ovo, uma colher de sopa cheia de farelo de trigo, uma colher de sopa de óleo, duas colheres de sopa de água (opcional: uma colher de sopa de creme de leite fresco).

Fermento e sal.

Forma retangular pequena. Beeeeem pequena. :)
Três minutos (ou menos) no microondas (potência 850w).

Voilá!

O meu: salame, queijo Gouda e maionese.
O seu: à escolha. Azeitonas picadas na massa do pão são uma idéia. :)

Eu não conto carboidratos para essa receita, mas calcule 0.8g de carboidrato para o ovo e, se o farelo for de boa qualidade, não deverá ter carbos absorvíveis.

Enjoy!

A place called Pleshey

Tão pequeno que a rua principal se chama The Street.
Tão amigável que até os patos dão as boas vindas.
Tão florido que foi finalista do concurso “Vila mais Bonita de Essex”.
Tão bonito que deveria ter ganho.

O castelo de Pleshley não existe mais; abandonado, teve suas ruínas utilizadas como material de construção. Talvez algumas dessas casinhas coloridas – em volta do pouco que sobrou daquele que já foi o maior castelo da Inglaterra – tenham em algum ponto da sua arquitetura um pedaço reciclado de História.

Hi, July.

Tentando novamente usar cosméticos H&M e novamente me decepcionando. Esse flocado enorme parecia tão lindo, mas é preciso passar umas trinta demãos de esmalte para que ele apareça na unha – e a textura do esmalte em si é grossa feito cola transparente.

O da Kiko, no entanto, é um azul meio Tiffany & Co delicioso. Tô super necessitando ir lá renovar estoque – depois de catalogar meus esmaltes e jogar fora as podreiras.

O anel folheado em prata eu achei na Debenhams (esqueci a marca) e brilha feito diamante.

Virei oficialmente a doida das suculentas. As originais já estão enormes e eu comprei mais quatro na Homebase sábado passado. Não sou a jardineira mais dedicada do universo e por isso gosto de gerânios, cactos, margaridas, cravos e suculentas. É preciso esforço proativo para matá-los.:)

Indo pro show do Travis mês passado:

image

Ia repetir a roupa para o show do Neil Young, mas não consegui achar a jaqueta. Jaqueta que, aliás, eu tenho desde os 15 anos e tem um bordado cool de uma águia nas costas. Ficou sem uso por vários anos até que foi redescoberta quando abri as caixas da mudança.

Tô relapsa com “foto de roupa” porque o closet virou, novamente, uma bagunça de caixas empilhadas. Vou tentar arrumar isso hoje. :)

2013: já estamos no segundo tempo da partida.
Virar o placar desse jogo morno: Y/N?