Red door one.

Foi assim que batizei a nossa casa no check-in do 4Square.

Temos uma porta vermelha. O número é um. Estou bebendo prosecco. As coisas poderiam estar piores. Eu podia estar bebendo cava barata. Ok, na verdade a cava barata estaria de excelente tamanho. Não sou exigente em termos de álcool, exceto quando se trata de vinho não-espumante. Vinho espumante precisa ser muito, mas MUITO ruim para eu desgostar. E estou mudando de assunto mais rápido do que esvazio essa garrafa.

Há mais de uma semana sem internet em casa. O telefone foi desligado e ainda não voltou nessa parte da cidade; mas hey! desde ontem a banda larga da Virgin Media (Deus abençoe a fibra ótica) está up and running e agora eu posso alimentar vaquinhas no Farmville a fim de me acalmar nos horários de pico das crises de ansiedade. Minha saúde não anda boa, e como sempre acontece a saúde psicológica fica ainda pior.

Estamos na casa nova há pouco menos de duas semanas. Ou melhor, EU estive. Chegamos aqui carregados de caixas numa sexta feira, e na segunda seguinte Respectivo foi para Dubai, onde passou dez dias. Fiquei sozinha rodeada de coisas para fazer, o que em situações normais me encheria de entusiasmo e animação – arrumar lugar para as coisas depois de uma mudança é como brincar de casinha. Infelizmente meu sistema digestivo não anda colaborando e eu estou uma pilha de nervos. Eu realmente não precisava de mais stress em cima de uma mudança de proporções mamutísticas.

 photo h1.jpg

Enfim. Cá estamos no subúrbio, ainda mais subúrbio que o subúrbio anterior. O borough de Havering está praticamente dentro de Essex. Mas tem night bus! E um jardim bem maior e mais claro do que o anterior. Isso está me ajudando a ficar feliz nesse momento.

Estou considerando plantar uma roseira trepadeirs na frente da casa, ou aquelas heras verdes/vermelhas que sobem pelas paredes. E a vontade de plantar um pé de Magnólia ali no cantinho também é grande. Vamos ver como fica – ou seja, vamos ver quanto CUSTA.

 photo h2.jpg

Essa é a minha nova escrivaninha no meu novo escritório. Perceba a quantidade de luz (essa foto foi feita no fim da tarde). Depois de viver numa caverna pelos últimos dois anos, ter toda essa luz à disposição é um luxo.

 photo h4.jpg

 photo h5.jpg

 photo h7.jpg

 photo h8.jpg

 photo h9.jpg

 photo h10.jpg

 photo h11.jpg

 photo h12.jpg

Jardim. O ex-proprietário está deixando todos os móveis de jardim e também coisas como cortador de grama, leaf blower, etcétera. Tô quase perdoando o cara por ele ainda não ter tirado os lixos dele da garagem.

 photo h13.jpg

 photo IMG_6894.jpg

 photo IMG_6872.jpg

 photo h14.jpg

 photo h15.jpg

 photo h16.jpg

 photo h17.jpg

Como se vê, eu herdei MUITOS potes. ♥

 photo h18.jpg

 photo h19.jpg

 photo h20.jpg

 photo h21.jpg

Janelas da cozinha, um dos meus lugares preferidos até agora.

 photo h22.jpg

 photo h23.jpg

Gerânios de hoje, primeira aquisição no mercado de rua do bairro. E o carvalho centenário do jardim:

 photo h24.jpg

Quando compramos a casa, uma cláusula determinava que o carvalho poderia ser aparado, mas jamais cortado. Concordamos, e quem não haveria de? Como jogar no chão uma coisa tão linda? Em breve ele estará coberto de folhas novamente – o paraíso dos esquilos. :)

 photo h25.jpg

E eu adoraria escrever mais, mas… Benzodiazepine + alcool não costuma ser uma boa combinação, a coisa tá séria e vejo elefantes voadores rosados à minha volta. E antes que eles caiam na minha cabeça, me despeço.

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s