Light gardening

Aqueles daffodils já estavam mortos e secos, então se fez necessário ir em busca de outros pra dar um restart na jarra. Calcei minhas botinhas-de-chuva tendência, agarrei minhas tesoura de cozinha e, com tempestade e o escambau, me lancei à tarefa.

Logo na porta encontrei shamrocks – ok, shamrocks they aren’t, but very saint patrick’s day nonetheless, huh?

Essas camélias também estavam na porta, e crescendo assustadoramente. Lindas, só espero que as raízes não joguem minha casa no chão.

Eis as vitimas! A parte ridícula da coisa é que eu tenho pena de cortá-los. No fundo eu acho que flores devem crescer ao natural, em seus habitats, da terra e para a terra, sem escalas dentro de apartamentos, cozinhas, em cima de mesas ou defuntos. 90% das flores que tenho dentro de casa são artificiais. Me sinto uma assassina de plantas quando as corto – o narciso da direita estava lindo demais para ser cortado e foi poupado da carnificina vegetal.

E a recompensa da jardineira: gin + suco de framboesa + morangos cortadinhos. Pode fazer em casa; não abuse do gin – ou vodka, caso prefira – mas deixe os morangos dar uma leve marinada no alcóol antes de pôr o suco.

E agora vou ali fazer a dança da chuva ao contrário no quintal, na esperança que essa tempestade de vento vá brincar de sacudir arvores em outro canto.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s