Porque hoje é sábado.

O telefone nem ameaça tocar. Bani meus contatos.

O bina pifou. Mesmo assim, não atenderia a chamada. Do outro lado da linha pode haver de tudo. Não gosto de surpresas.

Mas o telefone não toca. É sábado, as pessoas têm medo de mim e precisam realizar seus sonhos – que eu sempre mato.

As amigas comprometidas fazem o programa básico de todo o fim de semana com o namorado. Sempre o mesmo programa, em todo fim de semana, até que o cara se encha do programa, se encha delas e elas se encham de lágrimas no sábado sem ele.

As amigas solteiras programam idas ao Bar do Bolla, à Bunker, ao Santa Fé, ao Amarelinho. Depende da tribo. E depende de onde o candidato a namorado da vez esteja freqüentando – só que para FUGIR delas. E elas fingem não perceber.

É sábado, as pessoas TÊM que sair. Passar o sábado em casa, imagina que absurdo!

As rádios são maravilhosas aos sábados, eles tocam o que deixaram de tocar há muito tempo porque era bom demais e os ouvintes não pediam pra ouvir. Afinal, eles não estão ouvindo, mesmo – sábado é o dia de não ouvir, sábado é o dia de FAZER acontecer. De ir pra night, comer pipoca na praça, de subir no terraço de casa e tomar banho de borracha/mangueira, de fazer as unhas, de enrolar o cabelo, de testar aquela máscara de pepino Ó-TI-MA pra pele, que elimina rugas de ansiedade oca e o inchaço dos olhos que não dormem.

Dia de soltar pipa. Dia de andar para cima e para baixo, sem rumo na rua e na vida, só “pra ver qual é” e passar de short curto na frente daquele gatinho, quem sabe ele me olhe, e… Não, ele não olha. Está cortando no serol a pipa daquele mané que ele não suporta. Isso vale mil gatinhas de short curto. Porque elas sempre existirão, mas cortar a pipa daquele escroto… chance única.

Dia de assistir vídeos. De fazer e comer aquela pipoca ruim de microondas. Mastigando o vácuo de uma existência sem nenhum objetivo ou prazer aparentes. Dia de ouvir toda a sua coleção de CDs do Jehtro Tull. Dormir à tarde, brincar com as crianças e sentir-se normal e saudável, e até feliz por fazer isso. Feliz pela sua vidinha repetitiva e medíocre dar tão certo e você se sentir abençoado por ter feito o que, no fim das contas, qualquer um acaba fazendo.

Hoje é sábado, crianças. Go outside and get a life. A real one.

Leave a Reply

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s